Princípios do NEC

Todo o trabalho executado no NEC tem por fundamento a convicção de que o conhecimento é algo que eleva o homem. Independente de sua formação intelectual e da cultura que possui, é a busca por compreender melhor a realidade que faz com que o indivíduo deixe o estado letárgico da alienação mundana em favor de um verdadeiro crescimento espiritual.

Por isso, todas as atividades do NEC têm o objetivo, de alguma maneira, de proporcionar ao estudante a possibilidade de ter contato com informações e reflexões que o tirem do lugar comum de uma vida estacionária e sem objetivos, para outra que oferece o conhecimento não apenas como um instrumento, mas algo que passa a fazer parte da busca perpétua de seu ser.

Para poder cumprir com essa proposta, baseamos nossos trabalhos nos seguintes fundamentos:

Todos têm a possibilidade de aprimorar seu conhecimento

Mesmo conscientes de que as inteligências não são iguais, nem os talentos, nem as circunstâncias, o que torna as pessoas com possibilidades diferentes e formações também diversas, acreditamos que todas as pessoas têm algum potencial de crescimento a ser explorado. Ninguém pode oferecer, como desculpa para não querer aprender, as circunstâncias da vida ou as impossibilidades naturais. Sempre há algo a ser apreendido, e é colocar-se nessa via que torna o homem melhor.

É possível ensinar verdades profundas para todos os tipos de pessoas

Ensinar é a arte de fazer-se compreender. No entanto, as pessoas possuem formações de níveis diferentes, o que torna a linguagem que usam diferentes, e também imaginários diferentes. Por isso, aquele que ensina deve conhecer sua platéia e deve saber falar para ela, de uma maneira que ela a compreenda.

Isso não significa um rebaixamento de nível, mas uma adaptação do discurso, como sempre ensinaram os mestres da oratória. A inteligência das pessoas é aprimorada pelo estímulo ao esforço para o desenvolvimento.

Apesar da adaptação do discurso, há também a necessidade de oferecer às pessoas que participam dos estudos uma linguagem que esteja, de alguma maneira, acima de seu linguajar comum. Mesmo os conceitos não podem ater-se ao imaginário trivial. É que a inteligência não apenas é desenvolvida pela apreensão direta dos conceitos, mas, também, pelo estímulo ao seu desenvolvimento, que ocorre pelo esforço de compreensão.

(texto ainda em construção)