O problema da concentração nos estudos

Muito do problema da inteligência se encontra na concentração. Às vezes, mais do que ter a capacidade de guardar os dados, é preciso ter a capacidade de absorvê-los adequadamente, e isso significa não permitir que elementos externos criem ruídos durante esse processo. Isso porém não significa que o silêncio absoluto seja suficiente para garantir a melhor absorção intelectual seja do que for. Isso porque muitos dos ruídos não vêm exatamente de fatores ambientais, mas surgem do próprio cérebro de quem está tentando estudar.

Aprender como manter a mente exclusivamente direcionada para um único objeto é o grande desafio de qualquer intelectual. E, apesar de haver diversas técnicas que são apresentadas ao público periodicamente, ensinando como desenvolver a capacidade de concentração, não há nada que mantenha alguém mais absorto em um assunto qualquer do que o interesse, ou seja, do que o amor pelo tema.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someonePrint this page

2 Comments

  1. Porém quando não há um interesse tão grande diretamente num determinado assunto, mas ao mesmo tempo há um dever que implica estudá-lo, neste caso o senso do dever, de fazer aquilo por algo maior pode dar uma concentração equivalente a de um interesse totalmente genuíno? Imagino que sim, mas a absorção deste conhecimento deve ser mais difícil, pois não há uma espécie de inclinação “natural” para o tema.

    1. Provavelmente, será um tanto mais difícil mesmo. Talvez, o segredo seja desenvolver um gosto pelo conhecimento em si, mas do que por assuntos específicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *